Por que comunicar a Educação?

O desenrolar da história do Brasil, com falhas e carências de resultados efetivos das Políticas Públicas, fez com que a educação, para parte da população, se tornasse algo distante e inatingível. Ao contrário do que possa parecer, educação não é um “produto” de luxo, exclusivamente vendável e restrito a um grupo seleto de pessoas. Educação é um bem comum, universal dos cidadãos, uma “marca forte” e essencial para o desenvolvimento de um país. É fundamental a conscientização sobre o direito à Educação em todas as esferas da sociedade.

Neste contexto, a comunicação é uma ferramenta indispensável de informação, articulação, mobilização e integração de diferentes stakeholders (empresários, governos, universidades, educadores, escolas, comunidade, mídia, associações de classe, entre outros) envolvidos com a causa. Por meio de uma comunicação transparente, consistente e ética, permite-se o fortalecimento de uma rede de atores unidos por um denominador comum e de iniciativas que atuam em prol da promoção da educação no país.

Os desafios dos profissionais de comunicação para promoção da educação são grandes, porém, alguns pontos merecem destaque: o engajamento constante da sociedade; a capacidade de disseminar informações dando visibilidade a causa de forma consistente e responsável; e a acessibilidade.

Com o surgimento de novas tecnologias e ferramentas de comunicação, estes desafios se tornaram bem mais factíveis. Informações técnicas, baseada em dados estatísticos, indicadores e melhores práticas, são elementos norteadores para legitimar uma boa comunicação. É fundamental que sites e as mídias sociais disponibilizem informações por meio de relatórios, pesquisas e infográficos para consultas e análises. As melhores práticas, implantadas por organizações da sociedade civil (OSCs), projetos sociais, empresas e governos locais, também servem como referência para contextualização.

O marketing digital é, nos dias atuais, uma ferramenta de grande importância. Uma estratégia bem desenvolvida permite a segmentação da comunicação e o direcionamento do investimento para diferentes públicos-alvo, por um custo mais baixo que o marketing tradicional. Um plano de comunicação integrado, envolvendo redes sociais, e-mail marketing e site, podem trazer mais resultados quando acompanhado da produção de conteúdo dirigido e qualificado, imagens e vídeos que favoreçam a causa. Por outro lado, não podemos deixar de lado outras ferramentas de comunicação que, de acordo com a sua finalidade, complementam a estratégia digital, como por exemplo: imprensa, eventos, conferências, revistas e jornais dirigidos, entre outros.

Desta forma, a evolução para uma educação de qualidade e efetiva no Brasil, será possível a partir do momento em que, com acesso a informações e a exemplos de sucesso, toda a sociedade se conscientizar da sua responsabilidade no processo de mudança e melhorias na educação. E, inspirado nas palavras de Paulo Freire, “não é possível refazer este país, democratizá-lo, humanizá-lo, torná-lo sério, com adolescentes brincando de matar gente, ofendendo a vida, destruindo o sonho, inviabilizando o amor. Se a educação sozinha não transformar a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda”.

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Skip to content